Intervenção na Perturbação do Espetro do Autismo

Atualizado: Jul 14

O sucesso passa pelo despiste e a intervenção precoce


Atualmente tendo em conta os conhecimentos científicos, sabemos que é fundamental identificar precocemente se existem co-morbilidades que possam condicionar mais a adaptação e o desenvolvimento da criança, nomeadamente, a Perturbação do Desenvolvimento Intelectual, a Perturbação Específica da Linguagem e a Perturbação de Hiperatividade e Défice de Atenção.




estabelecer uma relação de empatia e confiança com as crianças

Intervindo precocemente sobre a Linguagem compreensiva e expressiva, mais especificamente sobre a pragmática, daremos competências fundamentais às crianças com PEA para identificarem em si e nos outros expressões faciais e corporais, reconhecer os sentimentos, emoções, entender informações implícitas na interação com o outro e saber como gerir os seus interesses e comportamentos durante essas dinâmicas.


Por outro lado, ao estabelecer uma relação de empatia e confiança com as crianças, tenho compreendido que elas nos vão aceitando e aceitando quebrar algumas das suas rotinas, para descobrir novas atividades e novos interesses que lhes apresentamos. Tal permite-nos compreender melhor a sua capacidade de adaptação e permite capacitá-la com novos conhecimentos e novas condutas sociais, fundamentais para a sua adaptação ao longo do desenvolvimento.


Da experiência pessoal que vou adquirindo, reconheço que a capacidade de disponibilizarmos tempo e sobretudo de investirmos na pessoa que está à nossa frente, permite-nos alcançar objetivos que muitas vezes, no início da intervenção não ponderávamos poder vir a alcançar tão rapidamente.


Tenho compreendido que tal acontece com todas as crianças (e mesmo os jovens), independentemente de terem ou não uma Perturbação do Desenvolvimento Intelectual, e por isso tento tranquilizar os pais e fazê-los acreditar que o sucesso da intervenção multidisciplinar só acontece quando todos os intervenientes respeitam o ritmo da pessoa e investem amor, tempo e dedicação nela.


Se todos seguirmos essas premissas, desde cedo e ao longo da vida, permitiremos sempre alcançar novas aquisições ou pelo menos permitir que as mesmas possam manter-se no tempo, favorecendo a autonomia pessoal, social e profissional dos jovens e adultos com PEA.

tranquilizar os pais e fazê-los acreditar que o sucesso da intervenção multidisciplinar só acontece quando todos os intervenientes respeitam o ritmo da pessoa e investem amor, tempo e dedicação nela.

29 visualizações

Posts recentes

Ver tudo